Episódio 003 – Como mandar bem em apresentações orais


Nesse episódio vamos começar a explorar como você pode desenvolver soft skills (as habilidades suaves). E apresentações orais são uma excelente oportunidade para isso.

Durante o seu doutorado você tem inúmeras oportunidades de aprimorar as suas habilidades como expositor: reuniões de grupo, seminários, congressos, qualificação, feira de ciências, e muitas outras. Essas situações constituem boa parte do trabalho científico. Comunicar, dar ciência aos outros, é extremamente importante para na prática científica. E também muito relevante na sua formação profissional. Corporações, escolas, universidades, institutos de pesquisa, organizações sem fins lucrativos, negócios de quaisquer tipo, não importa a carreira que você siga depois do doutorado, você vai precisar comunicar diferentes tipos de conteúdo para diferentes grupos de pessoas. É inevitável. Quanto mais proficiente você for, melhor!

Você pode pensar: existem vários jeitos de praticar comunicação oral e eu não preciso fazer um doutorado para isso! É verdade! Mas nós estamos aqui para discutir como tirar o maior proveito possível da sua titulação. E, nesse sentido, o doutorado pode ser uma grande vantagem para a sua carreira. Vou explicar.

Uma pessoa que fez doutorado não é apenas alguém que praticou comunicação em diferentes situações. É uma pessoa treinada em uma técnica extremamente valiosa: a metodologia científica! É um indivíduo capaz de observar, formular hipóteses, obter dados, testar hipóteses, analisar resultados, tirar conclusões. Em humanas ou exatas, cada área com conjuntos diferentes de dados e teorias, seja para estudar o comportamento humano, galáxias ou fósseis de dinossauros. Cientistas aplicam métodos para obter resultados, até, ou principalmente, para concluir que a hipótese estava errada ou insuficiente. Percentualmente pouquíssimas pessoas possuem esse tipo de treinamento no mercado de trabalho. Então, só com isso a sua titulação já te dá vantagem.

Agora vamos combinar as duas habilidades: comunicação oral e método científico. O resultado disso é comunicação eficiente. E, olhando apenas do ponto de vista empregatício, eficiência no mercado de trabalho significa dinheiro. Quem se comunica de maneira eficiente, não desperdiça tempo. E tempo é dinheiro.

Uma comunicação oral eficiente leva em consideração pelo menos 4 pontos:

  • mensagem,
  • audiência,
  • estrutura,
  • argumentação.

Defina claramente a mensagem que quer transmitir. A sua apresentação nada mais é do que um caminho criado para que a audiência entenda a sua mensagem. E, por consequência, conhecer a audiência é fundamental. Um grupo de adolescentes no Ensino Médio têm expectativas muito diferentes de um grupo de cientistas da sua área de atuação.

Definir a audiência te ajuda a escolher a linguagem e os argumentos mais adequados para a estrutura da sua apresentação. Por exemplo, imagine que você apresente na mesma semana dois seminários sobre o seu tema de tese, um durante uma feira de ciências e outro em um congresso especializado. A mensagem e a estrutura de ambas apresentações podem ser as mesmas. Mas a escolha dos argumentos e a linguagem utilizada serão muito diferentes de uma apresentação para outra. Linguagem aqui significa o que você fala, como fala e quaisquer outros recursos visuais, sonoros e/ou tácteis que acompanhem a sua apresentação. Os argumentos são os seus resultados, referências bibliográficas ou outras fontes que darão consistência para sua narrativa. E esses você conhece melhor que ninguém.

É bom repetir para deixar bem claro: conhecer a audiência é fundamental! Conhecer, entender e praticar as melhores formas para ser compreendido por diferentes grupos de pessoas é realmente importante e um dos softs skills mais valorizados no mercado de trabalho. Você não será eficiente na sua apresentação se não levar em consideração a melhor forma de transmitir a mensagem para sua audiência. Isso é um dos pontos que muitos cientistas tendem a negligenciar. Muitos acham que se a mensagem é boa e os argumentos são sólidos, a maior parte do trabalho está feito. Mas, infelizmente, não adianta nada se quem te ouve não estiver interessado ou não conseguir acompanhar o que você tem a dizer.

Por tanto, a mensagem do dia é: pratique suas habilidades de comunicação oral o máximo que puder. Treine ser eficiente tendo sempre em mente a mensagem, a audiência, a estrutura e a argumentação. Lembre-se que na comunicação o mais importante é a audiência. É ela que avaliará o quanto a sua estrutura foi efetiva e a mensagem clara. Argumentos sólidos e bem fundamentados, apesar de essenciais, são o mínimo esperado de cientistas. Por isso, aprender a se comunicar com diferentes grupos e de maneira eficiente é o diferencial no aproveitamento do seu doutorado.

Nós vamos discutir exemplos de estrutura nos próximos episódios. Começando por comunicações orais para grupos especializados, como os casos de reuniões de departamento e congressos.

E se você quiser discutir sobre o seu caso em particular, entre em contato pelo meu site.

Meu nome é Josephine Rua e você ouviu o podcast Dotôrando em josephinerua.org.


Funk Game Loop by Kevin MacLeod is licensed under a Creative Commons Attribution license (https://creativecommons.org/licenses/…) Source: http://incompetech.com/music/royalty-… Artist: http://incompetech.com/ Music promoted by Audio Library https://youtu.be/a7nnob_ZpZI

Um comentário em “Episódio 003 – Como mandar bem em apresentações orais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s